O primeiro caso de Covid-19 identificado na cidade chinesa de Wuhan foi, na realidade, o de uma vendedora que trabalhava em um mercado de animais da cidade, e não de um homem que nunca havia estado no local, como foi demonstrado em um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essas são as conclusões da pesquisa publicada pelo virologista americano Michael Worobey, nesta quinta-feira (18), e publicadas em um estudo na revista cientiífica Science.