Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

Aparecida de GoiâniaDestaquePolítica

Vereadora reclama por ter microfone cortado pelo presidente da Câmara de Aparecida de Goiânia durante debate

(Foto: Reprodução)

Durante uma sessão ordinária na Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, a vereadora Camila Rosa (PSD) teve o microfone cortado a pedido do presidente da Casa, André Fortaleza (MDB). A situação aconteceu durante uma discussão entre os parlamentares a respeito de cotas de gênero.

Camila conseguiu retomar o direito de fala e se emocionou ao defender a representatividade feminina na política. Em seguida, ela se retirou dizendo que ia à Polícia Civil registrar o caso. Por meio de nota, o presidente da Câmara se manifestou e disse que não procurou “atingir pessoalmente a vereadora”. Também afirmou que sempre defendeu as mulheres “apoiando todos os projetos voltados ao tema”.

Tudo aconteceu na quarta-feira (2), conforme gravação da sessão, a discussão entre os parlamentares, que começa com Fortaleza defendendo seu ponto de vista sobre cotas para mulheres na Casa. “Não sou contra a classe feminina, sou contra cota, contra oportunismo, contra ilusionismo. Por mim, não adianta, pode ser mulher, pode ser homem, pode ser homossexual. […] Eu só falei que os direitos têm que ser iguais e os deveres também”, disse o presidente.

Fortaleza puxou publicações e comentários nas redes sociais sobre o tema e pontuou que, em um deles, foi dito que a Casa tinha “um bando de machistas”, ao que respondeu: “Eu não sou machista, eu sou contra fake news. Isso aqui, para mim, é fake news”.

Os dois discutiram e a vereadora pediu respeito enquanto estava falando, ao que Fortaleza respondeu: “Quem vai me respeitar é a senhora, eu sou presidente, a senhora vai me respeitar. Corta o telefone [microfone] dessa vereadora para mim. Agora. Quer fazer circo, aqui você não vai fazer não”.

Deixe um comentário