Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaquePolítica

Vanderlan coordena reunião para tratar da redução de taxas do FCO

Divulgação

Senador participou de forma de reunião com senadores do Centro-oeste e representantes do setor produtivo privado

 

Diagnosticado com dengue e Covid-19 na última segunda-feira e apresentando sintomas leves, o senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), coordenou, de forma virtual, nesta quarta-feira (2), reunião para tratar das taxas de juros aplicadas sobre financiamentos com recursos não rurais do FCO, FNO e FNE.

A reunião contou com a participação dos senadores Nelsinho Trad, Carlos Fávaro e Sergio Petecão, do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Sandro Mabel, do Acre, José Adriano Ribeiro, do Ceará, Ricardo Cavalcante, do Mato Grosso do Sul, Sérgio Longen, do secretário de Estado de Agricultura do Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, além do superintendente da Sudeco, Nelsinho Fraga, da coordenadora de Fundos Constitucionais da Sudeco, Luciana Barros, do assessor financeiro da Associação Pro-Desenvolvimento (Adial), Elemar Pimenta, entre outros técnicos e assessores.

Desde o ano passado, Vanderlan vem trabalhando juntamente com os senadores do Centro-Oeste e representantes da Sudeco, Associação Pro-Desenvolvimento (Adial), e outras instituições para buscar alternativas para reduzir os juros e taxas administrativas cobrados por empréstimos do Fundo Constitucional do Centro Oeste (FCO).

 

O senador explicou que a taxa saltou de 5,27% ao ano em dezembro de 2018 para 23% ao ano em dezembro de 2021 o que tornou inviável para muitas empresas. “Trata-se de uma taxa mais alta do que empréstimos em bancos privados. Juros tão altos podem desencadear em inadimplência, falência, desemprego etc ao invés de promover o desenvolvimento regional, que é a essência do fundo. O FCO é composto de recurso público e foi criado com o objetivo de oferecer condições diferenciadas e proporcionar benefícios aos empreendedores como taxas de juros mais baixas que a do mercado, prazo de pagamento mais longo e carência maior”, explicou.

No encontro semipresencial de hoje, Vanderlan apresentou um resumo das últimas reuniões e ações realizadas pelo grupo e colocou em discussão a Minuta de Resolução enviada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) sobre o tema.

“A proposta da Minuta atende em muito as nossas expectativas e agradecemos ao ministro Rogério Marinho, por acatar as nossas sugestões. Agradecemos, em especial, ao superintendente da Sudeco, Nelsinho Fraga e a coordenadora de fundos constitucionais da Sudeco, Luciana Barros, bem como todos os atores envolvidos por toda ajuda e atenção em nossa causa. Agora, aguardaremos a análise da Minuta e deliberação do Conselho Monetário Nacional, que deve ocorrer nos próximos dias, para que, caso acatada, as novas regras possam entrar em vigor”, disse Vanderlan.

 

 

Por Patrícia Pinheiro

Deixe um comentário