Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

Polícia

Segurança Pública : WhatsApp da Polícia Civil completa 60 dias com resultados positivos

O canal de comunicação foi criado em abril e já apresentou 100 denúncias relacionadas a casos de homicídio

Delegada titular da DHPP, Anaide Barros de Souza
Delegada titular da DHPP, Anaide Barros de Souza – Foto por: Lenine Martins/Sesp-MT
Na madrugada do dia 12 de abril, um jovem de 24 anos, usuário de drogas e com diversas passagens pela polícia, foi morto com cinco tiros dentro da casa onde morava sozinho, no bairro Altos da Serra. Sem encontrar testemunhas, vídeos e outros indícios que pudessem levar ao responsável pelos disparos, a polícia se viu diante de uma investigação complexa, com chances reduzidas de sucesso.
Foi quando uma denúncia anônima chegou à Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e deu novo impulso ao trabalho. Rapidamente, foi possível identificar o autor do crime. A “dica” decisiva veio por meio do aplicativo WhatsApp, graças ao número (65-99971-7976) criado e disponibilizado pela delegacia para facilitar o intercâmbio de informações entre os investigadores e a população.
“Em 60 dias de instalação, recebemos mais de 100 denúncias relacionadas a casos de homicídio. A maioria delas contribuiu para o nosso trabalho”, disse a titular da DHPP, delegada Anaide Barros de Souza.
O canal de comunicação foi criado em abril. As mensagens são recebidas pelo policial plantonista do dia que, após triagem inicial, as repassa à equipe policial de plantão ou ao responsável por um caso em investigação. O número do denunciante é mantido em sigilo. “As informações que recebemos pelo aplicativo são importantes para ajudar a formar convicção da autoria. Às vezes, temos suspeitos e um detalhe da denúncia ajuda na convicção”, informou.
No caso de denúncias relacionadas a ocorrências no interior do Estado, as mensagens são repassadas via e-mail para as unidades mais próximas. “Todos os dias chegam denúncias. Podemos dizer que deu certo. O sistema foi bem aceito”.
TROTES
Ainda que em número inferior ao registrado nos serviços de emergência tradicionais, a delegada conta que o canal do WhatsApp também é prejudicado pela prática criminosa de trote. “Pelo aplicativo é mais fácil identificar o autor, mas essa atitude também dificulta o nosso trabalho, ou seja, temos que verificar uma informação sem procedência”.

Por Hérica Teixeira | Sesp-MT

Deixe um comentário