CidadesDestaque

Reclamação de som alto em Goiânia aumenta 400% durante isolamento social

(Foto: Divulgação)

Pessoas usam suas próprias residências e espaços privados para realização de festas e aglomeração. Ação não tem autorização da Prefeitura e morador pode ser notificado

 

A Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) registrou um aumento significativo de reclamação e importunação causado por som alto na capital. O índice chegou a 400% durante o isolamento social em razão da pandemia. Segundo órgão, com o veto ao funcionamento de bares, boates e casas de espetáculos em função, as pessoas estão usando as próprias residências e outros espaços privados para realizar festas, o que é desautorizado pelo poder público.

Segundo dados da Amma, as reclamações desse tipo vêm crescendo desde março, quando saltaram de 526 denúncias no ano passado para 1009 em março último. Comparando os meses de abril de 2019 com o mês passado, o salto foi 369%, batendo em 1553 reclamações. Neste mês, o aumento subiu quatro vezes na mesma base de comparação, registrando 1059 denúncias de moradores.

Para comentar esses números e explicar o que diz a lei,

O gerente de Fiscalização da Amma, Diego Moura, explica que a legislação define em 50 decibéis o limite máximo de barulho durante à noite e de 55 decibéis durante o dia e que os aparelhos geradores do som podem ser apreendidos. “O que passa disso é considerado poluição sonora e cabe notificação e multa inicial de R$ 5 mil”, disse.

Os fiscais da Amma trabalham com seis equipes nos fins de semana e contam com apoio da Guarda Civil Metropolitana e Polícia Militar. Durante a abordagem poderá ser lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). De acordo com Diego Moura, algumas autuações são mais frequentes. “Por isso fazemos fiscalizações em estabelecimentos comerciais e residenciais, incluindo condomínios”, afirma.

As denúncias podem ser feitas por meio do telefone 161, que funciona 24h, e também pelo site da prefeitura da capital, cujo registro vai direto aos terminais das equipes de fiscalização.

 

Da redação do Click News

Deixe uma resposta