A Prefeitura de Goiânia, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), fabrica regularmente blocos de meio-fio para instalar em canteiros e praças da capital. As peças são usadas na construção de novos espaços de lazer e também na manutenção dos já existentes.Em média, a Comurg produz 200 blocos de meio-fio por dia, cada um com 15 centímetros de altura, 50 centímetros de comprimento e 10 centímetros de largura. Os componentes são feitos a partir da mistura de areia, brita e cimento.A massa é colocada em formas dispostas sobre uma mesa vibratória, onde permanecem até atingir o ponto ideal. Depois, as peças são desenformadas no chão forrado com areia, para não grudar. Após 24 horas, findo o processo de secagem, os blocos de meio-fio estão prontos para uso.

Colaboradores da Comurg fabricam meio-fio diariamente na sede da Companhia: blocos de concreto são usados na construção e manutenção de praças e canteiros de flores | Foto: Fernando Leite/ Comurg

As praças do Residencial Fonte Nova e Setor Goiânia II, ambas em construção, vão receber, em breve, o meio-fio. As peças serão levadas aos referidos locais em caminhões, e serão unidas com rejunte a base de cimento e areia pela equipe do departamento de obras da Companhia.

O meio-fio serve para demarcação de espaço e sinalização, separando a calçada das vias onde trafegam os veículos. Também usado nos canteiros centrais de ornamentação e paisagismo, cria uma barreira para o barro em períodos chuvosos evitando o espalhamento pelas ruas.

Outro item fabricado e amplamente usado na construção e revitalização de praças é o piso tátil. Instrumento de inclusão, as faixas em alto-relevo, fixadas no chão em linha contínua, têm o objetivo de orientar o trajeto de pessoas com deficiência visual.