Destaque

Prefeitura de Aparecida de Goiânia trabalha intensamente nos últimos 90 dias em combate ao novo coronavírus

Foto: Rodrigo Estrela

Nos últimos três meses a Prefeitura de Aparecida de Goiânia investiu seus esforços na luta contra o novo coronavírus em um árduo e valoroso trabalho. Desde o início da pandemia, a administração pública está atenta e trabalha diariamente para vencer o mais rápido possível esse inimigo desconhecido e perigoso.  Além disso, também trabalha com igual dedicação para amenizar o sofrimento de milhares de famílias castigadas pela crise financeira provocada pela doença.

Foto: Divulgação

Tudo isso levando em consideração estudos, pesquisas e recomendações de órgãos e entidades científicas como a Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministérios da Saúde e outros. Acompanhe as ações desenvolvidas nos últimos meses pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia.

  •  Em 10 de março, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) capacitou 92 servidores que atuam na atenção básica. No encontro, os profissionais foram habilitados para identificar e atender corretamente os pacientes com sintomas da doença.
  • No dia 16 de março, quando ainda nenhum caso havia sido confirmado na cidade, foi criado pela administração municipal o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus. Formado por secretários municipais, representantes do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), Defensoria Pública, Câmara de Vereadores, OAB Subseção de Aparecida, Associação dos Feirantes de Aparecida, Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), Sesi/Senai, Sebrae Regional Aparecida e Federação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte em Goiás (Femicro-GO), o grupo é responsável pelo desenvolvimento de ações e estratégias para conter a disseminação do vírus em Aparecida.
  • Um dia após a criação do comitê, a gestão municipal publicou decreto de emergência em saúde pública. No documento, foram informadas as medidas estabelecidas para prevenir a doença na cidade. “Vivemos hoje uma situação atípica e estamos, Prefeitura e sociedade civil, trabalhando juntos para promover a segurança de nossos moradores”, disse na época o vice-prefeito Veter Martins.
  • Pouco mais de 24 horas depois, o secretário de Saúde, Alessandro Magalhães e o vice-prefeito, que na época era o prefeito em exercício, anunciaram as medidas estabelecidas para evitar a disseminação do vírus em Aparecida. Entre elas, o fechamento de estabelecimentos comerciais como shoppings, bares, restaurantes, cinemas, clubes recreativos, boates, casas noturnas, academias, camelódromos e outros. A determinação não proibiu o funcionamento de estabelecimentos essenciais como supermercados, padarias, farmácias e postos de combustíveis. A medida foi adotada para estimular o distanciamento social.
  • No dia 19 de março, foi iniciada a quarentena em Aparecida. Apenas estabelecimentos essenciais continuaram funcionando. No dia 20, a SMS convocou 300 profissionais para reforçar o atendimento na rede pública. Preocupada e sensível com a situação também foi disponibilizado no mesmo dia o 0800-646-1590 para o cidadão tirar dúvidas sobre a doença e agendar consultas em um prazo de até 48h. No dia 23 foi registrado o primeiro caso de Covid-19 na cidade.
  • No dia 26 de março a prorrogação de no mínimo 90 dias para o pagamento de impostos como ITU, IPTU, ISS e outros. Na ocasião, o secretário da Fazenda, André Luiz Rosa, estimou em R$ 188 milhões o prejuízo para os cofres municipais com a crise provocada pela pandemia.
  • Em 30 de março, a SMS adquiriu, para serem usados nas unidades de Saúde durante o período de Pandemia do coronavírus 60 termômetros de têmpora infravermelhos para uso profissional. Os equipamentos, obedecendo às diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), permitem medições rápidas de temperatura com precisão clínica e sem necessidade de contato com o paciente. Poucos dias depois, em 4 de abril, o município já disponibilizou apoio psicosocial, via consultas telefônicas, para pacientes da Covid-19 e profissionais da saúde.

Outras medidas

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha sancionou na última quinta-feira, 18, a Lei 038/2020, que torna obrigatório o uso de máscara de proteção facial pela população, a regra valerá para as pessoas que estiverem em espaços abertos ao público ou de uso coletivo.

“Esta é uma medida um pouco drástica, mas que por conta do número crescente da Covid-19 em Aparecida, precisamos tomar. Nosso objetivo com esta Lei é proteger a nossa população, pois, como explicam as autoridades de Saúde, a máscara, quando usada de forma adequada, cobrindo a boca e o nariz, pode evitar a disseminação de gotículas de saliva, dificultando a contaminação de uma pessoa para outra”, explicou o prefeito.

Escalonamento tem 98% de adesão dos comerciantes

Com o objetivo de aumentar o índice de isolamento social em Aparecida de Goiânia, considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS)  a Prefeitura de Aparecida realiza, desde o dia 08 de junho, o escalonamento no funcionamento das atividades econômicas da cidade.

Dividindo a cidade em 10 macrozonas sendo que a cada dia da semana duas delas ficam fechadas, é baseado em uma experiência positiva realizada em Israel, que por sua vez foram subdivididas em Jardim Alto Paraíso, Vila Brasília, Buriti Sereno, Expansul, Papillon Park, Santa Luzia, Zona da Mata, Centro, Cidade Livre e Garavelo. Os fechamentos regionais acontecerão um dia por semana, de segunda a sexta-feira, em duas macrozonas diferentes.

Foto: Rodrigo Estrela
Foto: Arquivo SecomA

Por Redação do Click News

Mariana
the authorMariana

Deixe uma resposta