Aparecida de GoiâniaDestaque

Prefeitura de Aparecida de Goiânia busca aprovação de projeto de lei que trata sobre linha de crédito a profissionais liberais

Foto: Divulgação

A prefeitura de Aparecida enviou na úlitima quinta-feira, 04, um projeto de lei a Câmara Municipal com o objetivo de auxiliar microempresas, empresas de pequeno porte e profissionais liberais através linhas de crédito emergenciais subsidiadas pela Prefeitura de Aparecida, a fim de financiar o capital de giro e dar fôlego ao negócio, amenizando os impactos econômicos da Covid-19.

O programa de financiamento, se aprovado, ficará disponível também para cooperativas, associações de pequenos produtores e profissionais autônomos formalizados de Aparecida.

O projeto

A Prefeitura de Aparecida pagará as despesas dos juros dos empréstimos tomados nos bancos credenciados. Quando a lei for aprovada e sancionada, será criado o Fundo de Crédito Emergencial do Município de Aparecida de Goiânia, que terá orçamento de até R$ 35 milhões, do Tesouro Municipal, para a implantação do programa.

Os interessados nas linhas de crédito deverão estar com registro e alvará de funcionamento em dia na Prefeitura de Aparecida. Conforme o projeto de lei, as empresas e profissionais liberais e autônomos pagarão direto para o banco as despesas com taxas de abertura de crédito, tarifas bancárias e tributos relativos à contratação dos empréstimos.

O financiamento se estenderá por até quatro meses após a suspensão das medidas de restrição de contato social. As receitas do Fundo de Crédito Emergencial serão provenientes da dotação orçamentária do município, de doações de pessoas físicas, empresas, órgãos governamentais e ONGs, e de rendimentos alcançados com as aplicações financeiras do Fundo.

Outros projetos

Ainda nesta quinta-feira, a Prefeitura de Aparecida enviou à Câmara Municipal um projeto de lei para tornar obrigatório o uso de máscara de proteção facial pela população em geral. A regra valerá para as pessoas que estiverem em espaços abertos ao público ou de uso coletivo; vias públicas; parques e praças; pontos de ônibus e terminais do transporte coletivo e rodoviárias,  repartições públicas; comércios; indústrias; agências bancárias e empresas de prestação de serviços.

A lei valerá ainda para as pessoas dentro de instituições de ensino público e privadas; em táxis, ônibus e veículos de transporte por aplicativo; fundações, associações e ONGs; templos religiosos e demais locais onde possa haver aglomeração de pessoas.

A fiscalização será feita pelos órgãos municipais e poderá ter apoio das forças de segurança pública. Qualquer pessoa pode denúnciar através dos canais:  3545-5992 (telefone e WhatsApp), 3545-9999 e 153.

“Podemos dizer que, enquanto durar a pandemia do coronavírus, as máscaras tornam-se equipamentos de proteção individual para a população em geral”, ressaltou o prefeito Gustavo Mendanha para os vereadores na videoconferência realizada hoje.

As penalidades para quem descumprir a lei, no caso de pessoas físicas, podem ir de advertência a multa no valor equivalente a 33 Unidades de Valor Fiscal de Aparecida de Goiânia (UVFAs). Atualmente, 1 UFVA corresponde a R$ 3,22. Já as empresas que permitirem a entrada de pessoas sem máscara poderão ter a licença cassada e pagar multa com valor de 10 a 180 UVFAs.

Por Redação do Click News

 

Mariana
the authorMariana

Deixe uma resposta