Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueSaúde

Novo estudo aponta para riscos de doenças neurodegenerativas por falta de vitamina D

© Shutterstock

O The American Journal of Clinical Nutrition, publicou um estudo realizado por investigadores da Universidade do Sul da Austrália, onde afirma que a vitamina D é indispensável para manter os ossos fortes e está relacionada com o risco de desenvolver demência.

Durante o estudo, foram analisados dados de 295 mil pessoas que fazem parte do banco de dados UK Biobank, um banco de dados do Reino Unido, os cientistas constataram que níveis baixos de vitamina D estão associados a um risco 54% superior de desenvolver demência. Foi realizada análise genética dos indivíduos e avaliaram ligações entre a vitamina D e a demência e o AVC. No final, percebeu-se que níveis baixos desta vitamina foram identificados em doentes com volumes cerebrais menores e concluíram que não há ligação direta com o risco de AVC, apenas com a demência.

“Nesta população do Reino Unido, constatamos que até 17% dos casos de demência poderiam ter sido evitados aumentando os níveis de vitamina D”, afirma a principal investigadora do estudo Elina Hyppönen, em comunicado.

Segundo o portal Lusíadas, uma pessoa saudável necessita de 600 a 800 unidades internacionais de vitamina D por dia. “À exceção do óleo de fígado de peixe, em muito poucos alimentos se encontrará esta vitamina”, pode ler-se. O óleo de fígado de bacalhau, peixes gordos, leite e derivados, iscas de fígado, cogumelos e leveduras são alguns desses alimentos.

A Organização Mundial de Saúde estima que existam 47.5 milhões de pessoas com demência em todo o mundo, número que pode chegar os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para 135.5 milhões. A doença de Alzheimer representa cerca de 60 a 70% de todos os casos de demência.

 

 

 

Da Redação do Click News
Mariana
the authorMariana

Deixe um comentário