Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

Vídeos

Legends Of Music: Salvatore Adamo & Isabelle Boulay > C'est Ma Vie > Vídeo Legendado

Salvatore Adamo, um dos nomes de maior sucesso da música francesa é, na verdade, italiano. Emigrou para a Bélgica com os pais, ainda criança. Adamo adotou a língua francesa em sua carreira. Tornou-se um dos cantores de maior sucesso comercial na Europa.
Durante os anos 60, colocou várias canções no topo da parada européia. Já vendeu mais de 80 milhões de discos pelo mundo afora.
Seus maiores sucessos no Brasil são “C’est Ma Vie” e “F…Come Femme”. Curiosamente, estas músicas não estão entre as mais conhecidas do seu repertório no exterior. “F…Come Femme” (M de Mulher) fez muito sucesso por aqui ao ser tema da personagem Renata, interpretada pela atriz Bete Mendes na novela Beto Rockfeller, exibida pela extinta Rede Tupi entre 1968 e 1969.
Salvatore Adamo (italo/belga) é um cantor francófono, seus grandes sucessos são: Inch’Allah, C’est ma vie, F comme femme.
Salvatore nasceu em Comiso (Italia) em 1 de Novembro de 1943, em uma família pobre com 6 filhos. Estudou numa escola religiosa de educação rígida. O sonho dos seus pais era oferecer-lhe um futuro glorioso. Aluno consciencioso e solitário, Adamo revelou um grande dom para o canto.
Quando adolescente, Salvatore participou num concurso radiofónico em que ganhou o 1º prêmio. Ao mesmo tempo gravou o 1º disco, sem sucesso. Desanimado pensou retomar os estudos. Seguindo o conselho do pai, António, um velho mineiro, Adamo tomou o caminho da capital para tentar a sua sorte. Sustentado pelo pai bateu sem cessar às portas das editoras e assinou por fim um contrato.
Em 1963, lançou “Sans toi, ma mie”, seu primeiro sucesso, seguido de “Tombe la neige”, “Vous permettez,
Monsieur”, “Les filles du bord de mer”, “Mes mains sur tes hanches”, “La nuit”…
Cantor popular por Excelência, Adamo seduziu o público
da França e logo ganhou popularidade em outros países.
Ele foi idolatrado no Japão e os seus concertos tinham
milhares de espectadores em todos os países do mundo.
Artista emérito e trabalhador esforçado, Adamo não poupou esforços, e passou o essencial do seu tempo nas estradas, entre dois concertos.
Restabelecido de um grave enfarte que teve em 1984, Adamo publicou, em 1992, “Rêveur de fonds”, um novo álbum que foi objeto de críticas elogiosas.
Confortado por esta popularidade reencontrada, lançou em 1994, “C?est ma vie”, um disco ao vivo, recordação de uma série de concertos no Casino de Paris e título do seu disco de 1975.
Em 1995, editou “La vie comme elle passe”, um álbum introspectivo, muito intimista, seguido, em 1998, de “Regards”.
Artista apaixonado, Adamo seguiu a carreira sem se preocupar com modas e tendências. Ele provou que apesar disso a sua popularidade se mantém intocável.
Ao fim de quarenta anos de carreira ele publicou “Les mots de l?âme”, em 2002, um cd com os seus grandes sucessos.
Em 2004 foi a vez de “Zanzibar”, o álbum CD/DVD, em 2007 e a vez de “La part de l’ange” o álbun CD, em 2008 e a vez de “Le bal des gens bien” (duetos) o álbun CD.

Isabelle Boulay nasceu dia 6 Julho de 1972 em Sainte-Félicité, Quebéc, Canadá.
Em 1990, alguns amigos registraram-na no festival da canção de Petite-Vallée sem seu consentimento, mas obteve um sucesso enorme. No ano seguinte ganhou Granby,um festival da canção com a música ?Amsterdam? de Jacques Brel. No mesmo ano foi convidada a fazer parte do festival Les FrancoFolies de Montréal.
Já em 1993 representou Canadá de rádio no festival ?Truffe de Périgueux? em Périgord, França. Acabou ganhando o prêmio para o mais melhor cantora na categoria ?francophone chanson?. Seguindo seu sucesso na França, foi observada pelo compositor Luc Plamondon que procurava talentos emergentes para executar em uma produção nova de sua ópera Starmania da rocha. Isabelle Boulay fez o papel de Marie-Jeanne. Em 1996, Isabelle Boulay forneceu a voz cantar para Alys Robi na série da televisão do mesmo nome. Seu primeiro álbum tem o nome de ?Fallait pas? e foi lançado em 1996
Por Letras.com.br

Deixe um comentário