Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueMúsica

James Mtume, lenda do jazz e do funk, morre aos 76 anos

(Foto: David Corio/Redferns)

Causa da morte não foi revelada

 

James Mtume, que tinha completado 76 anos há apenas uma semana, morreu, notícia confirmada por fontes familiares à revista Pitchfork. Filho do grande saxofonista Jimmy Heath e mentor da banda Mtume, o músico nascido James Forman era natural de Filadélfia e estudou na Califórnia, onde se juntou à organização afro-americana de agitação politico-cultural US Organization, em finais dos anos 60, altura em que alterou o seu nome para James Mtume, palavra que em swahili significa “o mensageiro”.

Essa consciência política alimentou os seus primeiros registos: lançou o clássico Alkebu-Lan: Land of The Blacks na Strata East em 1972, o mesmo ano em que se juntou à banda de Miles Davis para a gravação do clássico de fusão On The Corner. Foi esse o primeiro capítulo de uma longa relação com o icónico trompetista ao lado de quem gravaria trabalhos como Dark Magus, Get Up With It, Agharta ou Pangaea, marcos num dos mais efervescentes períodos criativos de Miles.

Foi com o trompetista que aprendeu algo muito importante para a sua personalidade artística: “Quando atravessares uma ponte, queima-a para não te dares a oportunidade de voltar atrás. Acho que retirei essa lição nos anos que passei com o Miles Davis. Ele mudou a música três ou quatro vezes, e fê-lo porque nunca olhou para trás.”

Mtume tornou-se assim um muito requisitado músico, angariando uma sólida reputação que lhe permitiu conquistar espaço em ensembles liderados por gigantes como Gato Barbieri, Eddie Henderson, Lonnie Liston Smith ou McCoy Tyner. Essa considerável experiência foi fundamental quando em 1978, já à frente do grupo Mtume, que formou com Reggie Lucas (guitarrista e produtor que haveria de estar envolvido no primeiro disco de Madonna, em 1983), lançou Kiss The World Goodbye, o primeiro de cinco álbuns que alcançaram razoável sucesso comercial, sobretudo o hoje clássico Juicy Fruit, trabalho de onde saíram muitos clássicos de hip hop por via do sampling, incluindo temas de Alicia Keys, Warren G, Common, Snoop Dogg ou, entre vários outros, “Juicy”, um tema que escalou as tabelas de vendas de Notorious B.I.G.

Além de músico e líder de banda, Mtume angariou igualmente considerável sucesso como compositor, tendo assinado canções para artistas como Roberta Flack, Donny Hathaway, R. Kelly, Mary J Blige ou Inner City. Após a notícia da sua morte, as redes sociais encheram-se de manifestações de pesar. DJ Premier foi um dos primeiros a prestar-lhe tributo: “Obrigado por todos os teus grandes contributos para a música”.

Conduzida por Jeff “Chairman” Mao para a Red Bull Music Academy, uma das entrevistas mais aprofundadas com o músico pode ser vista aqui, falando-se do início da sua carreira, o trabalho com Miles Davis ou “Juicy” e a arte de samplar. Ou, se preferirem, a sua ida às TEDx Talks.

Deixe um comentário