Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueGeral

Frio esquenta vendas na Região da 44 (Clima Bom)

Foto: Jornal Opção

Onda de baixas temperaturas tem atraído clientes de Goiás, de outros Estados e até de fora do Brasil

As baixas temperaturas que atingem o Estado de Goiás têm feito a alegria de muitos lojistas na Região da 44 em Goiânia, o segundo maior polo de confecção e distribuição de moda do Brasil. Com o frio em outras regiões do País, muitos empreendedores da 44 estão percebendo um aumento nas suas vendas de atacado e também no varejo.

É o caso do empresário e lojista Lucas Roberto Silva, que possui sete lojas na Região da 44 e trabalha tanto com moda feminina quanto masculina. Ele explica que apesar da onda de frio em Goiás ser mais curta, devendo ir até a semana que vem segundo algumas previsões meteorológicas, há estados onde o frio deve se estender até setembro.  “Da semana passada para esta, registramos um aumento de 70% em nossos pedidos. Hoje quase que todas peças que estamos vendendo para clientes de atacado que temos são roupas de frio. Nós vendemos para todo o Brasil, e para fora também em países como Paraguai e Bolivia”, conta o lojista, que diz ainda que até para estados brasileiros que não costumam fazer muito frio, como Bahia e Tocantins, as vendas aumentaram.

Segundo Lucas Roberto, entre as peças com mais saída ele cita os moletons com forro feupudo, uma peça unissex que faz sucesso entre homens e mulheres. “Na moda masculina estamos vendendo muita jaqueta, camisas de gola rolê e camisas de meia estação, que são aquelas de mangas longas e de algodão, um tipo de peça que muita gente gosta porque dá para usar o ano todo. Já na moda feminina, está tendo muita saída os casacos de parca, que é uma peça que é forrada por baixo e que esquenta muito e ao mesmo tempo é mais estilosa”, afirma o lojista.

Apesar da onda de frio em Goiânia e outras cidades próximas ser mais curta, a queda nas temperaturas acaba sendo um motivo para muitos renovarem o seu guarda-roupa de inverno. Com quatro lojas na Região da 44, a empresária Eugênia Sobrera também está comemorando o aquecimento das vendas graças ao frio mais intenso registrado neste ano. “Nas últimas duas semanas tivemos um aumento de 50% nas vendas. Tenho feito muitas vendas no varejo, não só para clientes de Goiânia, mas muita gente de cidades como Anápolis e Brasília”, revela a lojista.

Atuando há mais de dez anos na Região da 44, Eugênia explica que ao longo do ano trabalha com essa sazonalidade do clima, oferecendo produtos conforme a temperatura da época. “Entre abril e junho eu invisto bastante nos agasalhos, porque sempre sai muito. De julho até janeiro e fevereiro já vendo muito bermudas, camisetas e regatas, aí então o estoque com a qual trabalho é outro”, diz.

Peças de sucesso

Entre as peças de maior procura em suas lojas, ela cita os casacos em parca e os sobretudo. “Essas peças têm feito muito sucesso com a mulherada, que apesar de terem a festa da Pecuária [de Goiânia] adiada para agosto, elas já estão comprando para montar um look para a época. Também muita gente que deve ir para a festa de Trindade [Festa do Divino Pai Eterno] tem comprado muitos agasalhos desse tipo”, conta.

Outra peça que tem feito sucesso entre os clientes da lojista são as bobojaco, uma jaqueta mais esportiva e feita de um material impermeável, que isola o frio, e com forro em lã por dentro. “Essa é outra peça que tem saído muito, tanto os modelos masculinos, femininos e infantis”, acrescenta a lojista.

Natal?

Com frio mais intenso, os versáteis moletons têm sido a sensação nas lojas de moda infantil na Região da 44, como explica a lojista Aline Andrade, que é sócia de uma loja que vende roupas infantis no quilo. “O moletom tem sido o modelo mais procurado, porque para criança é o mais confortável neste tempo de frio. Além do mais, tem muita mãe que compra para o filho ou a filha usar na escola”.

Aline também está comemorando o aumento nas vendas gerado pelo frio mais forte este ano. “As vendas nestas duas últimas semanas  está 60% acima do normal. Há dias que temos um movimento aqui na loja parece que estamos no Natal”, comenta a lojista.

 

 

Colaborou: Anderson Costa

Deixe um comentário