Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

BrasilDestaque

Falta acesso à coleta de esgoto para 100 milhões de brasileiros

Investimento em saneamento básico "é insuficiente", aponta Trata Brasil BRUNO KELLY/REUTERS

Dados do Instituto Trata Brasil apontam que quase 35 milhões de pessoas não recebem água tratada no país

 

Os problemas que envolvem a questão do saneamento básico seguem presentes na vida dos brasileiros, com quase 35 milhões de pessoas sem acesso à água tratada e a falta de coleta de esgoto para 100 milhões.

Os dados, apresentados nesta terça-feira (22), Dia Mundial da Água, pelo Instituto Trata Brasil com base nos indicadores do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), tratam a questão como fator determinante para a hospitalização de centenas de brasileiros por doenças de veiculação hídrica.

O relato indica que somente metade (50%) do volume de esgoto gerado no Brasil passa por tratamento, o que representa o despejo de 5.300 piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento na natureza todos os dias.

De acordo com o estudo, o investimento de R$ 13,7 bilhões destinado para o tratamento do esgoto no Brasil “é insuficiente para que seja cumprido as metas do Novo Marco Legal do Saneamento”, sancionado em 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro

Entre as 100 cidades analisadas para a realização do estudo, a disponibilidade do acesso à água tratada chega a 94,38% da população, percentual maior do que a média nacional, de 84,13%. O destaque negativo fica por conta da cidade de Porto Velho, capital do estado de Rondônia, onde somente 32,87% dos moradores recebem água tratada em seus domicílios.

Já no quesito serviço de coleta de esgoto, enquanto a média nacional aponta 54,95% da população com esse serviço em seus lares, as localidades pesquisadas contam com uma média de 75,69%, sendo Piracicaba (SP) e Bauru (SP) as duas únicas cidades entre as analisadas com 100% do esgoto coletado.

“Outros 34 municípios possuem índice de coleta superior ou igual a 90% e, portanto, podem também ser considerados universalizados de acordo com a legislação”, relata o relatório do Trata Brasil. O município de Santarém (PA), por sua vez, conta com apenas 4,14% da população atendida com serviço de coleta de esgoto, o menor valor de toda a amostra.

Na análise regional, o relatório mostra que os municípios situados nos estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais seguem na liderança de melhores acessos ao saneamento básico. Por outro lado, entre os 20 piores municípios sempre estão municípios da região Norte, alguns do Nordeste e do Rio de Janeiro.

Ranking do Saneamento Básico

Fonte: GO Associados/Instituto Trata Brasil

 

Do R7

Deixe um comentário