Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueGeral

Ceasa Goiás promove 2ª edição de Festa do Pequi com participação de Orquestra dos Violeiros

(Fotos: Vasconcelos Neto)

 

Evento objetiva ressaltar importância da central como a que mais recebe e vende o fruto no Brasil

 

As Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa Goiás) realiza, na terça-feira (29), a partir das 9h, a segunda edição da Festa do Pequi. A festa, que acontece no auge da temporada pequizeira do Estado e da Ceasa/GO, tem como objetivo ressaltar o fato do entreposto de Goiânia ser o que mais recebe e comercializa pequi no Brasil.

A programação do evento prevê atividades desde a 9h da manhã, com a presença da Orquestra de Violeiros de Goiás, grupo de Catira da Associação dos Catireiros, Foliões e Violeiros de Aparecida de Goiânia, Banda Lira Jaraguense, apresentação da Folia de Reis da cidade de Jesúpolis e saudação à coroa do Divino da cidade de Jaraguá.

Para o presidente da Ceasa/GO, Jadir Lopes de Oliveira, a Festa do Pequi, mais do que um evento da empresa, é uma iniciativa para os goianos, porque é importante que Goiás tome posse da “cultura pequizeira”. “Podemos até não produzir em Goiás todo o pequi que chega à Ceasa, porém, o mais importante é que nós comercializamos mais do que qualquer central e aqui recebemos o supra sumo do fruto do país”, esclarece Jadir.

Produção

Minas Gerais e Goiás são os dois maiores produtores de pequi no País, porém, se o assunto é venda e recebimento do produto, a Ceasa Goiás assume a liderança, sendo que, em 2021 foi contabilizado o recebimento de 7.191,84 mil  toneladas de pequi no entreposto goiano.

As vendas da última safra representaram um aporte financeiro de mais de R$ 9.996.881,48. Só este ano, desde de setembro, com a chegada dos primeiros frutos, já foram 2.066 toneladas e R$ 2.583.814,70 comercializados.

Destaca-se também que a Ceasa comercializa bem mais pequi do que é extraído no estado – dos 7.191,84 mil toneladas vendidas em 2021, somente 2.036,96 mil têm origem goiana – o que evidencia que Goiás é mesmo o estado que mais consome o fruto e a Ceasa/GO o entreposto que mais vende pequi no Brasil.

O pequi começa a chegar na Centrais goiana em setembro, com a remessa do Tocantins, que representa cerca de 30% de tudo que entra do produto no entreposto goiano. O pequi tocantinense mantém a demanda até meados de outubro, quando dá entrada na companhia as primeiras cargas da produção goiana, vinda do Norte, de cidades como Porangatu, Crixás e Santa Tereza.

O pequi de Minas Gerais pode ser encontrado na Ceasa/GO em dezembro, e é o responsável pela comercialização até janeiro. Com menos expressividade, o pequi matogrossense pode ser encontrado no mercado em meados do mês de novembro.

Segundo a administração da Ceasa, é o fruto originário do Noroeste goiano, às margens do Rio Araguaia, que é considerado o “filé mignon” dos pequis, por apresentar caroços maiores, mais ricos em polpa e sabor. Quando a produção de São Miguel do Araguaia chega à Ceasa/GO e feiras, ela apresenta preço mais elevado, justamente por representar o que de melhor se produz em relação ao fruto.

Deixe um comentário