Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaquePolícia

Caso Bruno e Dom: 3º suspeito tem prisão temporária decretada pela Justiça do AM

"Pelado da Dinha" foi considerado foragido na noite de sexta-feira (17) após ter o mandado de prisão expedido — Foto: Rôney Elias/Rede Amazônica

Jeferson da Silva Lima foi escoltado por agentes da Polícia Federal ao Fórum de Justiça do município para a audiência de custódia

Após audiência de custódia, a Justiça do Amazonas decretou, na tarde deste sábado (18), a prisão temporária, por 30 dias, de Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”. Ele teve participação direta na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, aponta as investigações.

“Pelado da Dinha” foi considerado foragido na noite de sexta-feira (17) após ter o mandado de prisão expedido e não ser localizado pelas autoridades. Ele se entregou na delegacia de Atalaia do Norte, a 1.136 quilômetros de Manaus, nas primeiras horas da manhã deste sábado, onde foi ouvido pelo delegado Alex Perez Timóteo.

Durante a tarde, Jeferson foi escoltado por agentes da Polícia Federal ao Fórum de Justiça do município para a audiência de custódia e teve a prisão temporária decretada.

O delegado afirmou que, segundo as investigações, Jeferson tem participação direta no caso, desde a emboscada até a ocultação dos corpos. “Conforme todas as provas, todos os depoimentos colhidos até o momento, ele estava na cena do crime e participou ativamente do duplo homicídio ocorrido”, disse.

Assim como os outros dois presos, o prazo de 30 dias da prisão temporária de Jeferson pode ser prorrogado por mais 30. O processo tramita sob Segredo de Justiça.

A audiência de custódia foi realizada de forma híbrida- com a juíza, o investigado e o promotor de Justiça — Foto: Tjam

A audiência de custódia foi realizada de forma híbrida- com a juíza, o investigado e o promotor de Justiça — Foto: Tjam

Irmãos presos

No dia 9 de junho, a Justiça decretou a prisão temporária de Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pelado”, que confessou o crime no dia 15, um dia após o irmão Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como “Dos Santos”, ter sido preso.

Também no dia 15 de junho, a Justiça decretou a prisão temporária de Oseney. Os três suspeitos seguem detidos na carceragem da 50ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Atalaia de Norte.

Bruno e Dom foram mortos a tiros

Um laudo de peritos da Polícia Federal confirmou, neste sábado (18), que o indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips foram mortos a tiros, com munição de caça.

Segundo a análise, Bruno foi atingido por três disparos, dois no tórax e um na cabeça. Já Dom foi baleado uma vez, no tórax.

Buscas pela embarcação

Neste sábado (18) continuam as buscas pela embarcação que transportava Bruno Pereira e Dom Phillips. Na sexta-feira (17), as ações das forças de segurança encerraram no final da tarde.

A região onde as buscas se concentram foi apontada por Amarildo da Costa Oliveira. Ele também indicou à polícia o local onde a embarcação foi afundada e a área onde os corpos das vítimas foram ocultados.

Motivação

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal e tráfico de drogas na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: desmatamento e avanço do garimpo.

Aras e procuradores vão ao AM

O procurador-geral da República, Augusto Aras, e membros do Ministério Público Federal viajam a Tabatinga, no Amazonas, neste domingo (19).

O grupo deve participar de reuniões sobre a insegurança na Amazônia e, também, acompanhar os desdobramentos do assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips.

Por g1 AM

Deixe um comentário