Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

ArtigosDestaque

Calamidade pública

Foto Reprodução EPA

*  Por Jeverson Missias

 

Se fosse o brasil um país onde o planejamento pudesse ser o forte das ações governamentais, com certeza não estaríamos vivendo esse tempo angustiante e cheio de incertezas.

Por absoluta incompetência em prever, articular e operacionalizar, vivemos hoje esse tempo de guerra, com mortes em quantidades anormais brasil afora.

Ontem dia 03 de março de 2021 foram quase duas mil vidas perdidas.

Em diversos hospitais brasil afora, sobrecarregados e consequentemente por absolta falta de meios, pacientes são intubados em corredores e por lá mesmo veem a óbito.

A única solução vem sendo a locação de containers refrigerados para armazenar corpos.

O sistema de saúde está sobrecarregado, sufocado, os profissionais não estão mais aguentando esse sobrepeso em seus ombros.

Somado a isso temos diversos outros fantasmas a administrar.

Ouvidas 23 mil pessoas em pesquisa realizada em 28 países, percebeu-se que os brasileiros são o povo que mais se sentem solitário.

Foram ouvidas em terras tupiniquins cerca de mil pessoas, destas 50% afirmaram se sentirem solitários muitas vezes, frequentemente ou sempre.

“Vivemos, talvez, o pior momento da pandemia. E a tendência é que o sentimento de solidão aumente e, somado à ansiedade e tristeza, isso pode causar problemas sérios de saúde mental no futuro”.

O brasileiro está sofrendo demais na pandemia. Os números assustadores de contágio e de mortes, um dos piores índices do mundo, e o longo período de quarentena, ajudam a explicar esse sentimento.

Temos hoje, um ministro da saúde que reconhece que estamos mesmo vivendo um grave momento da pandemia e declara não ser “máquina de fabricar soluções.”

Perguntado sobre o plano nacional de imunização, responde vagamente que está articulando com algumas empresas farmacêuticas a aquisição de imunizantes. Não teremos vacinas nos próximos meses. Esta parece ser a verdade dos fatos.

A grande lição que fica é que em tempos de guerra não podemos viver de improvisos.

 

 

 

*Jeverson Missias é economista, bacharel em direito, radialista e jornalista.
É editor do Day News e do Click News

Esta matéria está disponível no canal do YouTube 

Deixe um comentário