Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueMundo

Brasil pode ser alvo de investigação internacional sobre Amazônia

Queimadas na Amazônia em 2019 foram detectadas com mais frequência nas regiões produtoras de gado próximas a frigoríficos do que no restante da floresta, diz pesquisa. (Foto: Ria Sopala, por Pixabay)

Pela primeira vez desde o final da ditadura militar, uma proposta concreta é submetida pela ONU para que se abra uma investigação internacional contra o Brasil

 

O Brasil recusou a aceitar que o Conselho de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) realize um debate sobre a crise na Amazônia. Essa proposta havia sido feita na semana passada pela relatoria da ONU, mas o governo brasileiro se opõe a qualquer tipo de investigação internacional contra o país.

O Itamaraty criticou a entidade num duro discurso nesta segunda-feira (22). A reação do governo também ocorre dias depois de o chanceler Ernesto Araújo aplaudir uma investigação da mesma entidade sobre a crise política e a repressão na Venezuelana.

Pela primeira vez na história em seu período democrático, o Brasil é foi alvo de uma recomendação oficial para que o governo seja objeto de uma investigação internacional por suas políticas ambientais e de direitos humanos. “O Brasil não vai se submeter à tutela politizada, disfarçada de um mandato técnico”, disse a embaixadora do Brasil na ONU, Maria Nazareth Farani Azevedo.

O ataque do governo brasileiro à ONU ocorre às vésperas da abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas por parte do presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira, e amplia o mal-estar entre o país e a instituição internacional. A iniciativa partiu do relator especial da ONU, Baskut Tunkat, responsável pelos temas de gestão ambiental e resíduos tóxicos. Sua proposta é de que o Conselho de Direitos Humanos aprove a abertura de uma investigação. Para que isso ocorra, porém, governos teriam de apresentar um projeto de resolução e aprovar a proposta por um voto da maioria.

Amazônia desprotegida

Segundo a ONU, sem um controle, a situação no Brasil não será apenas uma calamidade ao país, mas uma ameaça global. A recomendação do Conselho é que se abra um inquérito e que uma sessão especial sobre proteção à Amazônia seja realizada.

Segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), as queimadas na Amazônia em 2019 foram detectadas com mais frequência nas regiões produtoras de gado próximas a frigoríficos do que no restante da floresta.

Muitos acreditam ser improvável que a investigação siga adiante, mas destacam que, pela primeira vez desde o final da ditadura militar, uma proposta concreta é submetida para que se abra uma investigação contra o Brasil, com um constrangimento diplomático sem precedentes. Hoje, apenas países como Síria, Coreia do Norte, Mianmar, Venezuela ou Burundi contam com inquéritos específicos por parte da ONU.

Deixe um comentário