Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueGuerra: Ucrânia X Rússia

Brasil não está na lista de Putin de países considerados hostis

(Foto: Divulgação)

Decisão acontece após posição de neutralidade do Brasil e visita de Bolsonaro a Moscou antes do conflito

 

Os países considerados hostis são: Austrália, Albânia, Andorra, Reino Unido, todos os 27 países de União Europeia, Islândia, Canadá, Liechtenstein, Micronésia, Mônaco, Nova Zelândia, Noruega, Coreia do Sul, San Marino, Macedônia do Norte, Singapura, Estados Unidos, Taiwan, Ucrânia, Montenegro, Suíça e Japão. Esses países sofrerão critérios de relações comerciais impostos agora por Putin enquanto a guerra continuar.

Apesar do Brasil ter votado a favor da resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) que condenava a guerra, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem pregado o posicionamento neutro do país em relação as atitudes do russo, Vladimir Putin. “O Brasil é solidário à Russa”, disse Bolsonaro durante seu encontro com Putin no dia 16 de fevereiro.

A neutralidade de Bolsonaro refletiria num possível medo de retaliação por parte da Rússia no fornecimento de fertilizantes ao Brasil. Em 2021, cerca de 23% dos insumos de fertilizantes utilizados no solo brasileiro eram oriundos da Rússia. Contudo, na sexta-feira, 4, Putin recomendou aos fabricantes do produto que suspendessem suas exportações. Devido a guerra e ás sanções impostas pelos países hostis, as principais transportadoras marítimas do mundo não estão mais atendendo em portos russos gerando mais uma crise para Putin.

Rússia promete cessar-fogo e corredor humanitário

Na manhã de hoje também está previsto um cessar-fogo da Rússia e a criação de corredores humanitários nas cidades de Kiev, Kharkiv, Mariupol e Sumy. Porém, a Ucrânia desconfia que a ação seja uma estratégia para a Rússia concentrar mais suas forças e se reorganizar estrategicamente. Os corredores humanitários são com saída para Belarus ou Rússia.

O medo dos ucranianos dos russos tomarem a capital do país, Kiev, tem aumentado nos últimos dias. Vadym Denysenko, assessor do Ministério do Interior da Ucrânia, afirmou que “uma grande quantidade de equipamentos militares e soldados russos estão concentrados na proximidade de Kiev”. Ele também acredita que os próximos dias serão decisivos para acontecer uma batalha para invadir a capital.

“A capital está se preparando para a defesa. Peço a todos que mantenham a compostura. Esteja em casa, ou ao soar o alarme em abrigos”, disse hoje o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko. “Kiev vai ficar de pé! Vai se defender!”, reiterou. Além disso, a partir de hoje, na Praça da Independência, as fontes musicais irão tocar todos os dias o hino da Ucrânia, conforme informou a prefeitura ucraniana.

Deixe um comentário