Latest Posts

- Advertisement -
Click News

Latest Tweets

DestaqueEconomia

Brasil abre 2,73 milhões de vagas com carteira assinada em 2021

Brasil perdeu 265.811 vagas formais em dezembro MAURO PIMENTEL/AFP - 05.06.2019

Resultado positivo de mercado de trabalho é fruto de 20,7 mi de admissões e 18 mi de demissões no ano passado, aponta Caged

 

O Brasil abriu 2.730.597 empregos com carteira assinada entre janeiro e dezembro de 2021, de acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (31) pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

O resultado positivo do mercado formal de trabalho coletado todos os meses ocorreu a partir de 20.699.802 admissões e de 17.969.205 desligamentos. Os números ainda podem ser revisados.

Os dados do Caged, no entanto, têm se mostrado defasados após as atualizações. Somente em 2020, as revisões mostram que foram cortados mais de 190 mil postos de trabalho com carteira assinada, ante 142.690 contratações anunciadas inicialmente.

O resultado positivo no acumulado do ano ocorreu mesmo com o corte de 265.811 postos de trabalho CLT no mês de dezembro. O revés apresentado no último mês do ano é fruto de 1.437.910 admissões e de 1.703.721 desligamentos.

Com as oscilações, o Brasil fecha 2021 com 41.289.692 vínculos celetistas ativos, valor 0,64% inferior ao apurado no mês de novembro. Em dezembro de 2020, o estoque de vagas com carteira assinada era de 38.559.095, o que representa um crescimento de 7% do pessoal celetista ao longo do ano passado.

Os dados do Caged surgem no mesmo momento em que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que o desemprego recua, mas ainda atinge 11,6% da população, o equivalente a 12,4 milhões de profissionais.

Setores

No acumulado do ano passado, os dados apontam para saldo positivo no nível de contratações em todos os cinco setores econômicos, com destaque para os serviços, que abriram 1.226.026 postos formais entre os meses de janeiro e dezembro.

O saldo positivo foi distribuído principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (+663.808 postos), responsável por metade das contratações efetivadas no segmento.

Também contrataram mais do que demitiram durante o ano passado o comércio (+643.754 postos), a indústria geral (+475.141 postos), a construção (+244.755 postos) e a agropecuária (+140.927).

Em dezembro, no entanto, apenas o comércio registrou saldo positivo de vagas, com 9.013 novas admissões. As principais perdas foram puxadas pelos serviços (-104.670 cargos), pela indústria (-92.047 postos), pela construção (-52.033 vagas) e pela agricultura (-26.073 colocações).

 Do R7

Deixe um comentário