DestaqueSaúde

Bolsonaro leva tombo ao chegar para inauguração de Hospital de Campanha de Águas Lindas

Momento em que Bolsonaro leva tombo após chegar de helicóptero (Foto: Reprodução)

HCamp começa a funcionar com 60 leitos, sendo 20 de UTI. Presidente não usava máscara e, ao se dirigir ao local da cerimônia, escorregou e caiu.

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou um tombo ao tropeçar em uma mangueira ao chegar para a inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, a cerca de 50 km de Brasília, na manhã desta-sexta-feira (5). Bolsonaro chegou de helicóptero acompanhado dos ministros Eduardo Pazuello (Saúde), Braga Netto (Casa Civil,) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). Bolsonaro não usava máscara.

Construído pelo governo federal, ao custo de R$ 10 milhões, o HCamp tem capacidade para 200 leitos, mas começará a funcionar com 60 vagas, sendo 20 de UTI. Apenas pacientes encaminhados por outras unidades de saúde poderão dar entrada.

Segundo a Secretaria de Saúde de Goiás, a estrutura permite ampliar o número de leitos de UTI conforme a necessidade. Caiado agradeceu ao apoio do governo federal na construção de hospitais no estado e destacou que isso possibilitou que outras regiões tivessem um atendimento intensivo. “Nós tínhamos UTIs apenas em Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. Essa região tem 1,2 milhão de habitantes e nenhum leito de UTI. Nunca foi feita uma visão no sentido de dar saúde pública à população que vive no interior do estado. Vossa excelência, presidente, nos deu o apoio”, disse.

O hospital de campanha dispõe de tomógrafo computadorizado e laboratório clínico para a realização de exames (análise clínica completa). O acordo de cooperação entre os governos federal e de Goiás, segundo a Agência Brasil, prevê o funcionamento do HCamp por quatro meses, podendo ser prorrogado.

As obras do Hospital de Campanha de Águas Lindas, o primeiro construído pelo governo federal, foram concluídas no dia 23 de de abril. Porém, a administração da unidade só foi transferida para o governo de Goiás um mês depois.

Além da construção, o governo federal também vai arcar com o aluguel e manutenção da estrutura física. Já a Secretaria Estadual de Saúde é a responsável por organizar toda operação da unidade, fornecimento de insumos como medicamentos e equipamentos de proteção, além de todos os aparelhos médicos necessários. O Entorno do Distrito Federal tem, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, 1.145 casos confirmados e 39 mortos por covid-19.

Deixe uma resposta